Sírio agredido por jornalista é contratado com treinador de futebol

Refugiado, chutado, contratado. O time Getafe F.C. de Madri contratará como treinador de futebol, Osama Abdul Mohsen, que ficou conhecido depois de ser agredido por jornalista húngara, quando se refugiava rumo à Alemanha.
Leia mais deste post

Anúncios

Salário de Neymar no Real Madrid já estaria certo, diz jornal espanhol

Segundo o jornal online espanhol ABC.es, o representante já teria acordado o salário de Neymar no Real Madrd, caso o negócio seja fechado.

El representante de Neymar confirma un acuerdo con el Real Madrid (Veja matéria, em espanhol)

Já o jornal Jornal da Tarde, diz que “Se Neymar trocar o Santos, ganhará o dobro

O Jornal brasileiro avalia também desconfortável situação financeira do clube espanhol. A proposta do Barça para contratá-lo reflete a pouco privilegiada situação financeira do clube catalão. O presidente Sandro Rosell quer fechar o acordo agora, mas só pagaria o valor da multa daqui a um ano. Até lá, Neymar continuaria jogando no Santos e teria a chance de disputar outra Libertadores.

Espanhóis estão dispostos a imigrar para Brasil ou Alemanha a procura de emprego

Com o Brasil em alta e a Alemanha à busca de mão de obra qualificada espanhóis começam a deixar o país para fugir de uma taxa de desemprego de 20,3%. Na América Latina, o México tende a ser também o objetivo dos espanhóis.

Pertencente ao grupo dos Piigs (Portugal, Irlanda, Itália, Grécia e Espanha) e em um cenário econômico nada alientador, os profissionais espanhóis mostram-se mais dispostos a deixar o país. De acordo com o IV Estudo de Mobilidade da Randstad Professionals, 70% dos jovens espanhóis na faixa etária entre 25 e 34 de anos estão mais dispostos a mudar de cidade para conseguir um emprego.

Se a oferta de trabalho está fora do país, os candidatos ibéricos estão dispostos a imigrar. “O Brasil está na moda. Todo o mundo está lá”, disse Puri Paniagua, socia da Neumann International, empresa que headhunter de executivos.

“A tendência é que os executivos espanhóis deixem o país para ir à América Latina”, disse Ignacio Molina o pesquisador do Instituto Real Elcano da Espanha, um dos autores do Índice Elcano de Presença Global junto com a professora Iliana Olivé, em entrevista ao Terra Brasil. Ele explica, no entanto, que essa movimentação de profissionais se limita ao nível de diretores e executivos de multinacionais instaladas nos países latino-americanos.

Para Eduardo Quero, consultor da Randstad Professionals, o México também é um país que poderia ser receptor desses profissionais. Segundo a questão do idioma e os investimentos de empresas espanholas no país são fatores chaves na decisão.

Já o interesse pela Alemanha, por exemplo, foi despertado no passado mês de janeiro, quando Angela Merkel em visita relâmpago ao país disse que seu país está “captando” jovens profissionais espanhóis qualificados, ou, seja qual for sua origem, para trabalhar na Alemanha.
Isso provocou um aumento de 22% nas matrículas no Instituto Goethe em todo o país. Segundo Constanze Michel, chefe da sede em Madrid, sua sede foi a que apontou o maior aumento no número de inscritos, 1780.

Ainda segundo estudo publicado pela consultoria Manpower, em 33 dos 39 países pesquisados no mundo os executivos estão otimistas quanto as Projeções de Empregos para o segundo semestre de 2011, destaque para India, Taiwan, Brasil e China.